“Belíssima obra! Incrível realização de uns tantos que conseguiram vencer os inacreditáveis obstáculos da burocracia brasileira e uspiana. São poucas as pessoas que, como o casal Mindlin e seus descendentes, que realizam tal doação. A biblioteca vale a visita pelo acervo, por seu significado e pelo prédio”.
– indica Gabriel Passetti, assessor em Estudos Sociais e História no CAOE

Espaço conta com 32 mil títulos divididos entre livros, jornais e manuscritos

O acervo da biblioteca também está disponível para pesquisa, de segunda a sexta-feira, das 13h às 17h.

Em 2005, a USP (Universidade de São Paulo) recebeu uma doação no “valor” de 32 mil livros. Tal riqueza pertenceu ao empresário José Mindlin e agora se encontra na Cidade Universitária. Para que o público tenha acesso a raridades da literatura nacional e internacional contidas na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin, a instituição organizou duas exposições com entrada gratuita, abertas de segunda a sexta, das 9h30 às 18h30.

“Não faço nada sem alegria” reúne conteúdo audiovisual sobre a vida de Guita e José, a construção da biblioteca e como foi constituído o acervo doado. Já “Destaques da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin”  apresenta cem exemplares valiosos da coleção, disponíveis para visitação até 28 de junho.

Entre os tesouros de Mindlin estão a versão original de Vidas Secas, obra de Graciliano Ramos, e a primeira edição de “O Guarani”, escrito por José de Alencar. Todo o acervo está disponível em formato digital no site da Biblioteca.


Por Vinicius Santos

portal Catraca Livre